Ethereum é a segunda criptomoeda mais utilizada a seguir ao Bitcoin. Também assenta na tecnologia Blockchain e introduziu uma inovação no mundo das criptomoedas, os chamados Smart Contracts (Contratos Inteligentes).

Surgiu em 2013, pensado por Vitalik Buterin, e Gavin Woods, que eram já contribuidores do projecto Bitcoin.

A grande inovação do Ethereum está nos seus  Smart Contracts (Contratos Inteligentes) que permitem correr na sua rede através de uma linguagem de programação própria (Solidity) uma série de aplicações usando a moeda Ethereum ou os vários tokens criados nesta.

Isto torna o Ethereum na prática "dinheiro programável" e possibilita todo um ecossistema de aplicações criadas nesta rede chamadas dApps  (decentralized Applications ou Aplicações Descentralizadas). Desde aplicações financeiras, até mesmo jogos criados totalmente na blockchain.

Como funciona o Ethereum e os seus Smart Contracts?

Assim como o Bitcoin, o Ethereum é uma plataforma de código aberto baseado na tecnologia Blockchain, e consiste numa sequência de registos descentralizados e em rede, que são públicos, verificados e seguros através da criptografia.

O Ethereum usa esta tecnologia de uma forma inovadora para criar e correr aplicações digitais decentralizadas (ou dApps) através de Smart Contracts,  que permitem ao utilizador fazer transações diretamente com outros utilizadores, para comprar, vender ou trocar bens ou serviços sem um intermediário. Como por exemplo elaborar um contracto de compra e venda sem um advogado ou lançar uma angariação (ou arrecadação) de fundos através da blockchain em vez de usar sites intermediários na internet que cobram comissões.

Os  Smart Contracts correm exatamente como programados, o que reduz o risco de fraude, e são autoexecutáveis (executáveis por si próprios), o que força os termos destes contratos digitalmente e automaticamente. Ou seja, assim que certas condições são confirmadas pela rede, como uma transferência de um pagamento, o smart contract automaticamente "disponibiliza" o serviço ou resultado ao comprador ou utilizador.

O que é o Ether?

Manter a rede Blockchain e correr todas as dApps do ecossistema Ethereum é um processo que consome muito poder de computação, por isso o Ethereum criou a sua criptomoeda Ether (ETH) que incentiva os seus utilizadores e programadores a correr o protocolo Ethereum no seu computador. Estes são compensados com moedas Ether virtuais por contribuírem com os seus recursos computacionais. Esta é o processo de mineração da moeda Ethereum.

Cada vez que um programador quer lançar ou construir um Smart Contract na rede Ethereum ele tem de pagar uma taxa em Ether. Cada vez que um utilizador usa uma aplicação ou faz uma transação nesta rede, ele também tem de pagar uma pequena taxa chamada Gas Fee, em Ether. Estes custos são distribuídos por quem ajuda a manter a rede ethereum, ou seja, são distribuídos pelos "miners" cada vez que um bloco de transações é minerado.