Não, não é um garfo! Fork vem de uma expressão utilizada em desenvolvimento de software. Acontece quando os programadores copiam o código de um software e começam a desenvolver uma versão independente a partir desse código, criando um outro software distinto. Normalmente implica também uma divisão da comunidade que utiliza esse software.

Na verdade um fork, no contexto das criptomoedas é uma bifurcação da rede (Blockchain) em duas, em que uma continua a funcionar como a original e outra funciona com novas regras ditadas por quem iniciou o fork.

Quando existe um fork todo o histórico de transações e de balanços nas carteiras de uma criptomoeda são copiados, e passam a existir nas duas Blockchains.

Porque acontece nas criptomoedas?

Grande parte dos projectos em Blockchain funcionam em Código Aberto (Open Source) que qualquer um pode consultar ou contribuir, se houver uma divisão muito grande na comunidade, ou falta de consenso, pode originar um Fork.

Se uma parte da comunidade que usa a criptomoeda achar que uma funcionalidade faz mais sentido mas outra parte da comunidade nao estiver de acordo, e não houver consenso, pode originar um fork.

Se houver uma grande manipulação de uma rede ou se esta for atacada por hackers e a comunidade toda tiver de acordo, também pode originar um fork

Exemplos de Forks mais conhecidos

A rede Ethereum sofreu um ataque infomatico em 2016 no qual um pirata informático roubou $50 Milhões de Dólares em ETH, a maioria da comunidade votou e chegou a um consenso para fazer um fork para a rede ser restaurada para um periodo antes do ataque ter acontecido. Anulando assim a existência deste ataque.

No entanto, nem todos estiveram de acordo, e portanto a rede original, em que o Hacker continuou na posse dos fundos que roubou, manteve-se operacional, esta rede original passou a chamar-se Ethereum Classic (ETC), e a nova rede, em que o Hack nunca aconteceu, teve o apoio da maioria da comunidade e continuou a chamar-se Ethereum (ETH)

O Bitcoin é famoso por ter tido vários Forks na sua existência:

  • Bitcoin Cash: Fork no bloco 478558, em 1 Agosto de 2017, por cada Bitcoin (BTC), cada utilizador recebeu 1 Bitcoin Cash (BCH)
  • Bitcoin SV: Fork no bloco 556766, a 15 Novembro de 2018, por cada Bitcoin Cash (BCH), cada utilizador recebeu 1 Bitcoin SV (BSV).
  • Bitcoin Gold: Fork no bloco 491407, a 24 de Outubro de 2017, por cada Bitcoin (BTC), cada utilizador recebeu  1 Bitcoin Gold (BTG)

O Fork do Bitcoin cash por exemplo existiu porque na altura as taxas de transação estavam muito altas, e uma parte da comunidade achou que se o Bitcoin aumentasse o tamanho de cada bloco (o que permitiria processar mais transações por bloco), as taxas de transação iriam diminuir e permitir que o Bitcoin fosse usado como uma moeda para todo o tipo de pagamentos, mas grande parte da comunidade não concordou, então a nova rede passou a chamar-se Bitcoin Cash

Todos os Forks são então uma nova Criptomoeda?

Nem todos os forks implicam a criação de uma nova moeda, por vezes é necessário fazer um fork na rede para a migrar para uma nova tecnologia.

A maior parte dos Forks que envolvem a criação de uma nova moeda, acontecem porque a comunidade está dividida, mas na grande maioria das vezes apenas uma das redes acaba por sobreviver. No caso do Bitcoin e Ethereum, como são as duas criptomoedas mais usadas no mundo. Os seus forks tiveram tambem bastante impacto e permaneceram até hoje.